Estado de Alagoas

Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

» Página Inicial Sala de Imprensa Notícias 2021 09 - Setembro Seris participa da II Jornada de Leitura no Cárcere
23/09/2021 - 12h00m

Seris participa da II Jornada de Leitura no Cárcere

Encontro desperta custodiados para a importância da leitura, que permite a remição da pena, no processo de ressocialização

Seris participa da II Jornada de Leitura no Cárcere

Reeducandos e servidores do Presídio do Agreste participam de jornada de leitura

Ascom Seris, com CNJ

Fortalecer a política de assistência ao reeducando. É com este objetivo que a Secretaria da Ressocialização e Inclusão Social (Seris) marca presença em mais uma Jornada de Leitura no Cárcere, uma iniciativa do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), por meio do programa Fazendo Justiça, e do Observatório do Livro e da Leitura, Organização Não Governamental (ONG) criada em 1999 com a finalidade de fomentar a prática social da leitura.

Além de 8,5 mil pessoas privadas de liberdade em todo o país, a jornada – que teve início na terça-feira (21) e se encerra hoje – mobiliza também integrantes do Judiciário, escritores e movimentos sociais. O Departamento Penitenciário Nacional (Depen) e o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud) também são parceiros do projeto cujo principal objetivo é promover o acesso à leitura e à escrita nas unidades prisionais.

Um dos temas abordados durante o encontro – disponível no canal do CNJ no Youtube – foi a recente aprovação da Resolução nº 391/2021, que regulamentou a remição de pena por meio de práticas sociais educativas. “Elas incluem as atividades não escolares, a exemplo das ações voltadas ao esporte e à cultura. A ideia é reconhecê-las e incentivar a participação da sociedade civil na oferta dessas atividades, que devem ser organizadas considerando, entre outros fatores, a viabilidade de execução e a diversidade do público participante”, destacou Felipe Athayde Lins, coordenador do eixo Cidadania do programa Fazendo Justiça.

De acordo com a diretora-geral do Depen, Tânia Fogaça, somente em 2021 foram distribuídas mais de 266 mil obras literárias a unidades prisionais dos 27 estados, perfazendo um investimento de cerca de R$ 4,5 milhões provenientes do Fundo Penitenciário Nacional (Funpen).

Para o presidente do Observatório do Livro e Leitura, Galeno Amorim, a leitura vai além da decodificação de palavras para permitir o encontro com um novo significado de vida. “Ler um bom livro transforma e ressignifica trajetórias”, disse o jornalista. “Esta segunda edição da jornada é uma nova oportunidade de valorizar práticas promissoras da educação, servidores penais e pessoas privadas de liberdade em torno da garantia deste que é um direito universal”, reforçou o coordenador do Departamento de Monitoramento e Fiscalização do Sistema Carcerário e Sistema de Medidas Socioeducativas do CNJ, juiz Luís Lanfredi.

Em Alagoas, além de profissionais da unidade, 29 reeducandos que cumprem pena no Presídio do Agreste, em Girau do Ponciano, participam da jornada de leitura.

“Este encontro é muito importante no sentido de despertar nos reeducandos a paixão pela leitura, que é, sem dúvida alguma, um instrumento transformador e, portanto, um grande aliado no processo de ressocialização. Durante a jornada, todos podem trocar experiências, adquirir conhecimento com especialistas e até comentar obras como ‘O Cortiço’, de Aluísio Azevedo, melhorando o seu vocabulário e ampliando sua visão de mundo”, analisou a supervisora de Ensino da Seris, policial penal Jaciara Tenório, destacando que o projeto LÊberdade  - voltado à remição da pena por meio da leitura – segue gerando bons resultados em Alagoas.

 
Ações do documento

banner_lai+sic_LATERAL-A-PLONE3.jpg
banner_lai+sic_LATERAL-B-PLONE3.jpg

banner_GERAL_LATERAL_sic-plone3.jpg

banner e-ouv
banner-eouv-plone

banner-transparencia.jpg

banner_formulario

portal_do_servidor

 banner-depen