Estado de Alagoas

Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

» Página Inicial Sala de Imprensa Notícias 2020 02 - Fevereiro Gestores da Seris participam da Jornada de Leitura no Cárcere
07/02/2020 - 14h50m

Gestores da Seris participam da Jornada de Leitura no Cárcere

Com o tema “A leitura transforma”, projeto busca fomentar troca de experiências e a adesão de voluntários às ações educacionais desenvolvidas no sistema penitenciário

Gestores da Seris participam da Jornada de Leitura no Cárcere

Seris é partícipe de projeto que busca fortalecer oferta de educação nas unidades prisionais de todo o país (Foto: Sarah Brandão)

Maysa Cavalcante

A educação é um importante vetor de mudança dentro do sistema prisional alagoano. Visando potencializar as ações nesta área, gestores da Secretaria da Ressocialização e Inclusão Social (Seris) participam da primeira edição da Jornada de Leitura no Cárcere. O evento online, que se encerra nesta sexta-feira (07), foi idealizado pelo Observatório do Livro e da Leitura e reúne práticas desenvolvidas em unidades prisionais de todo o país.

Nesse sentido, o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) firmou um acordo de cooperação técnica com o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) com o objetivo de buscar mecanismos para superar alguns problemas enfrentados no sistema prisional brasileiro. Por meio do Programa Justiça Presente, o CNJ apóia a iniciativa que tem como objetivo difundir as práticas voltadas à leitura, estimulando a adesão de voluntários aos projetos educacionais desenvolvidos para atender a população privada de liberdade.

De acordo com a gerente de Educação, Produção e Laborterapia da Seris, policial penal Cinthya Moreno, a educação é decisiva para o processo de ressocialização, com a leitura tendo especial destaque por revelar um mundo de possibilidades para os custodiados. “Durante a Jornada, vimos o caso de um egresso que foi alfabetizado e se formou dentro do sistema prisional de São Paulo. Após cumprir sua pena, ele passou em um concurso público e voltou ao sistema prisional, mas, desta vez, como servidor na área da Educação, o que também ocorre a vários reeducandos em nosso estado”, revelou.

“Em Alagoas não é diferente. Temos o exemplo do reeducando Douglas Lima, que concluiu o ensino Fundamental e Médio enquanto estava no regime fechado e, após progredir para o semiaberto, decidiu utilizar o conhecimento adquirido para chegar ao ensino superior. Recentemente, ele colheu os frutos do seu esforço. Após fazer o Enem, Douglas conseguiu passar no curso de Administração. Dos 12 irmãos, ele foi o único a chegar à universidade”, emendou Moreno.

A leitura durante a privação de liberdade é incentivada pelo CNJ, que orienta os Tribunais de Justiça, por meio da Recomendação 44/2013, a promoverem a remição de pena por meio deste recurso. Em Alagoas, o hábito é estimulado desde 2017 por meio do projeto Lêberdade, iniciativa da Seris e da Secretaria de Educação (Seduc) que propõe a leitura de obras literárias e a escrita de resenhas críticas ou relatórios dos livros lidos. Cada resenha aceita diminui quatro dias do total da pena dos participantes do projeto.

Além da remição da pena, durante a Jornada de Leitura também são abordados assuntos como a atuação dos poderes Executivo e Judiciário, reflexões sobre o poder da leitura na vida das pessoas, além da importância de se organizar e selecionar acervos literários, citando os novos desafios para os dias atuais e o futuro.

“Durante a Jornada de Leitura, temos a oportunidade de conhecer as práticas desenvolvidas em outros estados, analisando o que pode ser aproveitado nas ações que Alagoas já desenvolve, como o projeto Lêberdade. Posteriormente, iremos nos reunir novamente para alinhar as ações e potencializar o Lêberdade dentro do Poder Executivo, expandindo o projeto para outras unidades prisionais do estado”, disse o secretário do Grupo de Monitoramento e Fiscalização do Sistema Carcerário de Alagoas (GMF), Igor Medeiros.

Jornada de Leitura

A Jornada de Leitura no Cárcere é uma mostra das principais práticas sociais de leitura que são desenvolvidas no sistema carcerário brasileiro, expostas por escritores, especialistas, advogados, educadores sociais e egressos do sistema prisional que trabalham diretamente com as ações. O objetivo da jornada é formar profissionais e voluntários para expandir os projetos de leitura para os presídios do país. Transmitido pela internet, no canal oficial do CNJ no YouTube, o evento permite a interação simultânea de todos os envolvidos.

Ações do documento

banner_lai+sic_LATERAL-A-PLONE3.jpg
banner_lai+sic_LATERAL-B-PLONE3.jpg

banner_GERAL_LATERAL_sic-plone3.jpg

banner e-ouv
banner-eouv-plone

banner-transparencia.jpg

banner_formulario

portal_do_servidor

 banner-depen