Estado de Alagoas

Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

» Página Inicial Sala de Imprensa Notícias 2019 05 - MAIO Agentes Penitenciários e PMs detêm reeducandos que violaram monitoramento eletrônico
14/05/2019 - 18h10m

Agentes Penitenciários e PMs detêm reeducandos que violaram monitoramento eletrônico

Prisões aconteceram em Coruripe e Arapiraca; tornozeleira facilita cumprimento de mandados de prisão em aberto

Agentes Penitenciários e PMs detêm reeducandos que violaram monitoramento eletrônico

Maysa Cavalcante

O trabalho desenvolvido na Central de Monitoramento Eletrônico de Presos (CMEP) da Secretaria de Ressocialização e Inclusão Social (Seris) resultou na prisão de dois custodiados que estavam sendo monitorados por tornozeleira eletrônica. A primeira prisão foi realizada por agentes penitenciários em parceria com policiais do 11ª Batalhão de Polícia Militar de Penedo.

João Barbosa dos Santos é condenado por estupro e estava com um mandado de prisão em aberto, expedido pelo juiz da 16ª Vara Criminal da Capital de Execuções Penais, José Braga Neto. Através da localização enviada pela tornozeleira eletrônica foi possível localizar o reeducando, que foi conduzido para o 89º Distrito Policial, em Coruripe, onde ficará a disposição da justiça.

A segunda prisão foi realizada em Arapiraca, por militares do Batalhão de Operações Policiais Especiais (BOPE), após o custodiado Wellington José Silva de Freitas romper o dispositivo de monitoramento eletrônico. Com a comunicação do fato ao juiz da 16ª Vara de Execuções Penais, foi expedido um mandado de prisão para o custodiado.

O supervisor da CMEP, tenente PM Alucham Fonseca, lembra que com o uso da tornozeleira, todos os passos dos reeducandos são fiscalizados. “A utilização dessa ferramenta contribui para buscas mais efetivas e facilita a localização dos indivíduos que tenham algum mandado de prisão em aberto”, disse.

Critérios

Para a utilização da tornozeleira eletrônica, o custodiado deve se enquadrar em um dos três casos: violência doméstica, prisão domiciliar e medida cautelar adversa à prisão (os presos provisórios respondem em liberdade sob monitoração). Em todos os casos, a utilização de tornozeleira ocorre com autorização judicial.

Ações do documento

banner_lai+sic_LATERAL-A-PLONE3.jpg
banner_lai+sic_LATERAL-B-PLONE3.jpg

banner_GERAL_LATERAL_sic-plone3.jpg

banner e-ouv
banner-eouv-plone

banner-transparencia.jpg

banner_formulario

portal_do_servidor

 banner-depen