Estado de Alagoas

Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

» Página Inicial Sala de Imprensa Notícias 2019 03 - MARÇO Seris realiza nova operação para remanejar reeducandos entre unidades prisionais
29/03/2019 - 11h10m

Seris realiza nova operação para remanejar reeducandos entre unidades prisionais

Ao todo, 68 reeducandos foram levados para o Presídio do Agreste, com outros 80 sendo transferidos a unidades prisionais de Maceió

Seris realiza nova operação para remanejar reeducandos entre unidades prisionais

Operação visa garantir manutenção da ordem, disciplina e segurança nas unidades prisionais (Foto: Bruno Soriano).

Texto de Bruno Soriano

A Secretaria de Estado de Ressocialização e Inclusão Social (Seris) realiza, nesta sexta-feira (29), mais uma operação com o objetivo de remanejar reeducandos entre unidades do sistema prisional alagoano. Ao todo, 68 reeducandos deixaram a Penitenciária de Segurança Máxima, em Maceió, e seguiram, sob forte esquema de segurança, para o Presídio do Agreste, localizado no município de Girau do Ponciano, distante cerca de 120 km da capital, enquanto outros 80 – que se encontravam no presídio do interior do Estado – serão transferidos para unidades prisionais de Maceió.

A operação mobiliza agentes penitenciários das próprias unidades e do Grupo de Escolta, Remoção e Intervenção Tática (Gerit), além de militares do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) e do Grupamento Aéreo da Secretaria de Segurança Pública (SSP). 

Segundo o tenente-coronel PM Gustavo Maia, chefe especial de Gestão Penitenciária da Seris, todos os 68 reeducandos que seguiram para o Presídio do Agreste têm ligação com facções criminosas. “Já os oitenta que deixarão o interior vão passar a cumprir pena nas unidades da capital, que não abrigam reeducandos faccionados. O objetivo é assegurar a disciplina dentro dos presídios. Como o contato com o público externo é menor no Presídio do Agreste, vamos evitar a possibilidade destes reeducandos ordenarem crimes, resguardando a incolumidade pública”, explicou Maia.

Ainda de acordo com o chefe de gestão penitenciária, a medida também visa à ressocialização. “No caso daqueles que vão seguir custodiados em Maceió, tem-se a proximidade com a família como um ponto muito positivo, além da possibilidade de estudo e trabalho no cárcere”, emendou o militar, sobre a operação que transcorre sem qualquer intercorrência. 

Chefe de segurança e disciplina do sistema prisional alagoano, o agente penitenciário Marciano Alex da Silva, por sua vez, reforça a importância do trabalho conjunto entre Seris e Polícia Militar, destacando a criação de módulo, no Presídio do Agreste, destinado exclusivamente aos ditos faccionados. "Isso vai permitir um maior controle sobre presos que não desejam ser inseridos nos projetos de ressocialização da secretaria", afirmou.

Na última quarta-feira (28), a Seris já havia realizado um grande remanejamento envolvendo 510 presos que estavam na Penitenciária de Segurança Máxima e na Casa de Custódia de Maceió. A operação também buscou “isolar” os reeducandos que se dizem faccionados, a fim de evitar a disseminação de quaisquer ideologias criminosas e, com isso, garantir ainda mais segurança ao sistema.

Ações do documento

banner_lai+sic_LATERAL-A-PLONE3.jpg
banner_lai+sic_LATERAL-B-PLONE3.jpg

banner_GERAL_LATERAL_sic-plone3.jpg

banner e-ouv
banner-eouv-plone

banner-transparencia.jpg

banner_formulario

portal_do_servidor