Estado de Alagoas

Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

» Página Inicial Sala de Imprensa Notícias 2018 11 NOVEMBRO Educação Superior abre portas a reeducandos em presídio referência no país
09/11/2018 - 11h43m

Educação Superior abre portas a reeducandos em presídio referência no país

Atualmente, dezesseis reeducandos cursam o Ensino Superior no Núcleo Ressocializador, que completa sete anos de funcionamento

Educação Superior abre portas a reeducandos em presídio referência no país

Cícero Lima se graduará em Administração este ano e pretende começar um mestrado em 2019. (Foto: Jorge Santos).

Texto de Maysa Cavalcante

O Governo de Alagoas, por meio da Secretaria de Ressocialização e Inclusão Social (Seris), tem fomentado a educação e o trabalho em tempo integral para reeducandos do Núcleo Ressocializador da Capital. Um dos projetos exitosos oferta o Ensino Superior na modalidade de Ensino a Distância (EAD).

"No início, o estudo era uma forma de ocupar o tempo, mas logo percebi que era através da educação e do trabalho que eu poderia mudar de vida. Levei essa ideia tão a sério que, nesses quatro anos no Núcleo, já participei de quase 80 cursos profissionalizantes", afirma Cícero Lima, um dos 16 custodiados que cursam o Ensino Superior. Em dezembro, o interno conclui a faculdade de Administração.

"Fiz a prova do Enem para as Pessoas Privadas de Liberdade e, com a nota alcançada, iniciei o curso de Administração pela Unopar", conta Cícero Lima. Segundo ele, sua decisão encorajou outros custodiados a estudar. "Em 2014, quando fiz o Enem, eu era o único apenado interessado. Após conversar com outros internos, mais três toparam o desafio. Hoje temos 16 universitários no Núcleo ", comenta.

Emocionado, Cícero revela seus planos a partir da educação proporcionada no cárcere. "Quando iniciei a faculdade no presídio, percebi que poderia ir mais longe. Desenvolvi um pré-projeto para o mestrado em Gestão Pública que pretendo iniciar no próximo ano. Também já consegui publicar artigo em um livro. Todas essas oportunidades conquistei no Núcleo”, relata.

"Espero que as pessoas vejam o cárcere com um olhar diferente, pois todo ser humano pode cometer erros e merece uma segunda chance. O Estado, por meio da Seris, está proporcionando uma grande mudança na minha vida", conclui Lima.

Esta semana, o presídio referência no país – com sua política humanizadora e oferta de trabalho e educação em tempo integral aos internos – completa sete anos de existência.

Ações do documento