Estado de Alagoas

Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

» Página Inicial Sala de Imprensa Notícias 2018 02 - FEVEREIRO Referência em gestão prisional, Seris reduz reincidência criminal
05/02/2018 - 15h15m

Referência em gestão prisional, Seris reduz reincidência criminal

Egressos do Núcleo Ressocializador da Capital no ano de 2017 não cometeram novos ilícitos; média nacional supera 70%

Referência em gestão prisional, Seris reduz reincidência criminal

Com tratamento humanizado, reeducandos aprendem e compartilham bons valores no cárcere

Texto de Mayara Wasty

Educação, trabalho e respeito. Esses são os pilares do Núcleo Ressocializador da Capital (NRC), unidade prisional referência no país. Graças ao planejamento da Secretaria de Ressocialização e Inclusão Social (Seris) executado pelos agentes penitenciários e demais servidores penitenciários, o presídio não registrou nenhum caso de reincidência criminal de egressos no ano de 2017.

O relatório foi desenvolvido pela Gerência do Núcleo, que acompanhou a situação dos 44 reeducandos que receberam alvará de soltura no ano passado. O chefe da unidade, agente penitenciário Elder Rodrigues, explica que o trabalho foi feito através da análise da situação jurídica individual.

"Fizemos o levantamento e constatamos que eles não haviam cometido outros crimes. Na verdade, muitos estão trabalhando nos convênios da Reintegração Social da Seris e deram continuidade nos estudos, inclusive cursando nível superior, um projeto que já mantemos aqui no presídio através das aulas à distância", disse o agente penitenciário.

Rodrigues atribui os bons resultados à política ressocializadora da Seris, referência no país. "Quanto mais tempo o apenado passa no NRC, mais se aproxima dos valores familiares e sendo reintegrado socialmente. Essa transformação é extraordinária. Eles desenvolvem o interesse em estudar e trabalhar de forma lícita", afirma.

Gestão eficiente

Funcionando há seis anos, o Núcleo Ressocializador da Capital conta com um corpo técnico formado por 34 agentes penitenciários, responsáveis pela custódia dos  122  reeducandos que atualmente cumprem pena no presídio. No Núcleo nunca foram registrados motins, tampouco rebeliões. Os agentes não utilizam armas para manter a ordem e disciplina no cárcere.

O acesso a educação, profissionalização e fortalecimento do vínculo familiar são alguns dos elementos para o desenvolvimento dos custodiados. Os benefícios dessa metodologia e gestão são sentidos pela sociedade. A média de reincidência criminal desde a inauguração do NRC até hoje é inferior a 5%, muito abaixo da média nacional que é superior aos 70%, de acordo com o Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

 

Ações do documento