Estado de Alagoas

Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

» Página Inicial Sala de Imprensa Notícias 2018 01 JANEIRO Profissionais do Núcleo de Acompanhamento de Alternativas Penais visitam abrigo São Vicente de Paulo
12/01/2018 - 09h25m

Profissionais do Núcleo de Acompanhamento de Alternativas Penais visitam abrigo São Vicente de Paulo

Ação oferece suporte técnico para cumprimento de penas e medidas alternativas

Profissionais do Núcleo de Acompanhamento de Alternativas Penais visitam abrigo São Vicente de Paulo

Abrigo São Vicente de Paulo acolhe dez beneficiários que cumprem pena tanto de prestação pecuniária, quanto de prestação de serviço à comunidade.

Além de administrar as unidades prisionais de Alagoas, a Secretaria da Ressocialização e Inclusão Social (Seris) desenvolve um importante trabalho de fiscalização do cumprimento das penas e medidas alternativas. Nesta quinta-feira (11), profissionais do Núcleo de Acompanhamento de Alternativas Penais realizaram uma visita técnica ao abrigo São Vicente de Paulo, uma das instituições do estado que recebe beneficiários desse tipo de pena.

A assistente social, Valdijane Araújo e a advogada Andressa Larissa, comandaram o encontro, que teve entre os objetivos principais orientar a relação que deve ser mantida entre os profissionais do abrigo e os apenados que prestam serviço no local. Além disso, também foi possível acompanhar e fiscalizar as penas e medidas alternativas cumpridas pelos beneficiários, fortalecendo laços e contribuindo para a continuidade do trabalho.

Atualmente, o abrigo São Vicente de Paulo acolhe dez beneficiários que cumprem pena tanto de prestação pecuniária, quanto de prestação de serviço à comunidade. De acordo com a assistente social Valdejane Araújo, as visitas técnicas são importantes para que beneficiários e instituições tenham consciência que o acompanhamento efetivo do cumprimento da pena está sendo realizado.

"Sem a participação das entidades assistenciais sem fins lucrativos cadastradas na rede de parceiros do Núcleo, esse trabalho seria inviável, pois não teríamos para onde encaminhar os beneficiários. Manter um contato estreito com todos os envolvidos é essencial para garantir os bons resultados alcançados por essa iniciativa, que reserva o encarceramento para os criminosos de maior potencial ofensivo", concluiu a assistente social.

Ações do documento