Estado de Alagoas

Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

» Página Inicial Sala de Imprensa Notícias 2017 09 - SETEMBRO Produtos confeccionados por reeducandos são doados para instituições sociais
08/09/2017 - 12h53m

Produtos confeccionados por reeducandos são doados para instituições sociais

Ação faz parte do trabalho social desenvolvido pela Seris e é resultado de um compromisso firmado durante o Governo Presente

Produtos confeccionados por reeducandos são doados para instituições sociais

 Texto de Mayara Wasty

 
O impacto das ações da 7ª edição do Governo Presente ainda repercutem no Estado. Nesta semana, a Gerência de Educação, Produção e Laborterapia da Secretaria de Estado da Ressocialização e Inclusão Social (Seris) realizou a doação de alimentos e produtos confeccionados nas oficinas da Fábrica de Esperança a instituições da capital e do interior.
 
A Casa do Pobre Nossa Senhora de Fátima, do município de Capela, a Instituição Irmã Iara, na grota do Pau D’arco, e o Lar Santo Antônio de Pádua, no Village Campestre, ambas em Maceió, foram as entidades beneficiadas.
 
Cada instituição recebeu 50 quilos de inhame, plantando na horta do complexo penitenicário, 100 lençóis confeccionados na oficina de corte e costura e 100 quilos de sabão em barra, produzidos na oficina de saneantes.
 
A agente penitenciária e gerente de Educação, Produção e Laborterapia, Andréa Rodrigues, explica que a ação faz parte do trabalho social desenvolvido pela Seris. “A entrega faz parte de um compromisso firmado durante o Governo Presente: prestar assistência, fundamental para o funcionamento dessas instituições. Ficamos muito contentes com esta ação e as instituições mais ainda", afirmou.
 
Fábrica de Esperança
 
O projeto da Seris, desenvolvido desde 2006, promove a ressocialização por meio de cursos profissionalizantes e laborterapia. Os reeducandos inseridos no programa trabalham com mecânica, horta, saneantes, artesanato, serraria e padaria, onde são produzidos até 18 mil pães diariamente.
 
O dinheiro arrecadado com a venda dos produtos é direcionado ao Fundo Penitenciário, cujos recursos são destinados a investimentos em obras no próprio sistema e, também, para a manutenção de equipamentos nas oficinas de laborterapia.
Ações do documento