Estado de Alagoas

Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

» Página Inicial Sala de Imprensa Notícias 2017 07 - JULHO Reeducandos têm nova perspectiva de vida após mutirão oftalmológico
10/07/2017 - 08h30m

Reeducandos têm nova perspectiva de vida após mutirão oftalmológico

Foram realizados testes de visão, prevenção de doenças e prescrição de receitas para os custodiados que apresentam dificuldade de visão

Reeducandos têm nova perspectiva de vida após mutirão oftalmológico

O atendimento foi idealizado por voluntários do programa ‘Mãos que Ajudam’. (Foto: Jorge Santos)

 Texto de Maysa Cavalcante

 

A Secretaria da Ressocialização e Inclusão Social (Seris) tem firmado parcerias importantes para promover a saúde e o bem estar aos reeducandos. Neste final de semana a novidade foi o atendimento de médicos oftalmologistas no Núcleo Ressocializador da Capital (NRC) e Presídio Feminino Santa Luzia. A iniciativa coordenada pelo doutor Carlos Anchieta beneficiou oitenta apenados.

O atendimento foi idealizado por voluntários do programa ‘Mãos que Ajudam’, da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, em parceria com a Sociedade de Oftalmologia de Alagoas (SOA). A Seris prestou todo o apoio logístico para a realização do mutirão. O secretário da Ressocialização e Inclusão Social, TC Marcos Sérgio de Freitas, esteve presente durante os atendimentos e elogiou a iniciativa.

“São ações como essa que refletem a política ressocializadora desenvolvida pela Seris. As parcerias são importantes para beneficiar um maior número de apenados, levando um atendimento de qualidade como o prestado pelos profissionais da Sociedade de Oftalmologia e pelos voluntários do Mãos que Ajudam”, destacou o secretário Marcos Sérgio de Freitas.

Ao todo, 15 profissionais da SOA participaram do mutirão. Foram realizados testes de visão, prevenção de doenças oculares e prescrição de receitas para os custodiados que apresentaram alguma dificuldade de visão. Aqueles que necessitam de tratamento continuado ou cirurgia terão o devido atendimento nas próximas etapas da iniciativa.

Carlos Anchieta revela que outras atividades estão sendo planejadas visando levar qualidade de vida para os necessitados. “Essa é a primeira das várias ações que estamos idealizando. Todos os profissionais que participaram do mutirão são voluntários e fico feliz em prestar a assistência para quem precisa”, disse o médico. 

A gerente de Saúde da Seris, Larissa Vital, explica que a ideia do mutirão partiu do professor e membro da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, Jadson Menezes. Ele constatou a dificuldade enfrentada por alguns reeducandos em sala de aula. Ela explica que a ação potencializa o trabalho profissional desenvolvido pelos custodiados nas oficinas do sistema, bem como a aprendizagem.

“O mutirão beneficia uma demanda reprimida. Queremos estabelecer meios para que esse atendimento seja ofertado em outras unidades e de forma rotineira. Dessa forma intensificamos o cuidado com a visão, necessário, principalmente, para os custodiados que estudam ou trabalham”, finaliza a gerente. 

Ações do documento