Estado de Alagoas

Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

» Página Inicial Sala de Imprensa Notícias 2017 05 - MAIO Presídio Santa Luzia será unidade piloto do Projeto Lêberdade
18/05/2017 - 11h55m

Presídio Santa Luzia será unidade piloto do Projeto Lêberdade

Parceria da Secretarias da Ressocialização e Educação vai ofertar conhecimento por meio da leitura nos presídios; atividades iniciarão neste mês

 Presídio Santa Luzia será unidade piloto do Projeto Lêberdade

Reeducandas terão oportunidade de ampliar conhecimento através da leitura (Foto: Secom)

 Texto de Maysa Cavalcante

 
Não resta dúvida, a leitura transforma a vida do cidadão. Navegando no mundo do conhecimento através dos livros, as pessoas têm acesso a um conteúdo enriquecedor, capaz de mudar a realidade social com boas ações. No âmbito carcerário não é diferente. Tendo consciência desse vetor transformador, as Secretarias da Ressocialização e Inclusão Social (Seris) e Secretaria da Educação (Seduc) se uniram para implantar o Projeto Lêberdade.
 
A iniciativa que assegura a remição da pena através da leitura já tem local e dia para iniciar: Presídio Feminino Santa Luzia, a partir do dia 30 de maio. O Lêberdade será coordenado pelos agentes penitenciários e professores seguindo a diretiva do Poder Judiciário. A coordenadora do Lêberdade e gerente de Educação, Produção e Laborterapia da Seris, Andréa Rodrigues, explica a metodologia utilizada na unidade piloto.
 
"Ao aderirem ao projeto, as reeducandas irão receber um manual com orientações básicas e a equipe de operacionalização vai estabelecer uma rotina de encontros semanais para orientar e tirar dúvidas sobre a produção da resenha", comenta Andréa Rodrigues. As participantes serão separadas em grupos, de acordo com o nível de escolaridade. A intenção é expandir o projeto para todas as unidades prisionais de Alagoas, gradativamente.
 
Pedagogos irão avaliar minuciosamente as produções. "Ao realizar a análise das resenhas elaboradas, os professores levarão em conta o nível de aprendizado da leitora. Esse texto será arquivado e o atestado de leitura irá para o prontuário da participante, possibilitando a remição da pena", explica o técnico pedagógico da supervisão de Educação de Jovens e Adultos da Superintendência de Políticas de Educação da Seduc, Leilson do Nascimento.
 
Lêberdade - O projeto propõe a remição da pena através da leitura de livros, levando em conta diferentes níveis de escolaridade dos apenados. Os custodiados devem ler um livro por mês e apresentar uma resenha crítica ou relatório da obra lida. A cada livro e resenha crítica aceita são remidos quatro dias na pena. Aqueles que conseguirem ler um livro por mês poderão diminuir até 48 dias da pena por ano.
 
Profissionais da Seris e Seduc farão a seleção das obras que serão lidas pelos reeducandos e esses títulos irão compor um catálogo, que será disponibilizado aos interessados em participar do projeto. "O reeducando deve ter cuidado com o livro, um patrimônio público. Ele deve zelar e devolver o volume para outro interno fazer a leitura da obra, posteriormente. Para isso criamos o termo de responsabilidade", concluiu Andréa Rodrigues.
 
Indústria do Conhecimento Sesi – Há seis anos fomentando a ressocialização no Complexo Penitenciário, a unidade do Serviço Social da Indústria de Alagoas (Sesi/AL) Indústria do Conhecimento conta com milhares de livros, DVDteca, CDteca, gibiteca, além de computadores com acesso a internet. O espaço é o ponto de apoio para reuniões e estudos dos professores e agentes penitenciários que atuam no Projeto Lêberdade. 
Ações do documento