Estado de Alagoas

Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

» Página Inicial Sala de Imprensa Notícias 2017 02 - FEVEREIRO Psicóloga da Seris Eliza Lima dissemina conhecimento na Universidade Federal
10/02/2017 - 15h35m

Psicóloga da Seris Eliza Lima dissemina conhecimento na Universidade Federal

Ações implementadas nos presídios são discutidos em palestra na Universidade; Ressocialização estimula produções acadêmicas

Psicóloga da Seris Eliza Lima dissemina conhecimento na Universidade Federal

Psicóloga e psicanalista Eliza Lima falou sobre as ações adotadas para manter a ordem e segurança nas unidades prisionais (Foto: Jorge Santos)

 Victor Costa

 
Conhecer o perfil dos apenados, entender a dinâmica dos delitos e discutir políticas públicas para prevenir crimes e promover a ressocialização. Esses e outros pontos foram abordados na palestra “Sistema Prisional Brasileiro: Crise, Violência, Facções”, realizada no auditório da Biblioteca Central da Universidade Federal de Alagoas (Ufal), na quinta-feira (9). 
 
Na ocasião, estudantes e docentes tiveram a oportunidade de conhecer a dinâmica de funcionamento dos presídios alagoanos sob a ótica de quem trabalha diariamente lá. A psicóloga e psicanalista da Secretaria da Ressocialização e Inclusão Social (Seris) Ana Eliza Lima falou sobre os desafios para superar a crise no sistema prisional nacional e a realidade local.
 
Para a acadêmica Airla Rodrigues, prestes a concluir sua graduação em Serviço Social, a palestra foi determinante para agregar conteúdo ao seu principal projeto na Ufal. “Estou concluindo a graduação e falarei sobre o sistema prisional feminino no TCC. É um tema que desperta curiosidade e acredito que poderei somar com as ações ressocializadoras”, comentou.
 
O secretário da Ressocialização, tenente-coronel PM Marcos Sérgio de Freitas, lembra que uma das diretrizes do Governo de Alagoas é fortalecer as políticas de Estado com a participação da sociedade. “A comunidade acadêmica tem um papel fundamental para debater os desafios atuais no âmbito carcerário e otimizar as ações ressocializadoras”, finaliza o gestor.
 
Ações do documento